Powered by free wordpress themes

Home / Opinião / Priorizar e seguir em frente

Powered by free wordpress themes

Priorizar e seguir em frente

  • Ivan Herrera Jordão –

 

Jamais colocar-se na posição de derrotado, a solução para quem se julga vítima do exagero da ação de outros.

O ponto de partida talvez seja avaliar criteriosamente a situação, colocar-se no lugar daquele que o teria “vitimizado”, sem deixar de repensar  se a sua postura não teria contribuído para o desfecho, e em que medida o outro teria agido daquela maneira, por estar subordinado a uma determinada hierarquia; ainda que exagerasse.

Hierarquia e protocolos.

O caso do jovem que, abordado após ingerir uma única dose de bebida, teria recebido como punição por fazê-lo e em seguida assumir o comando de veículo automotor, uma série de multas. Atitude imatura, impensada.

Correu o risco de envolver-se em acidentes, sendo inclusive a própria vítima, ser condenado a uma pena maior que poderia implicar na incapacitação para prosseguir nos seus propósitos de concluir o curso superior escolhido, engajar-se à área profissional à qual se dedica com esmero, ou outras “auto penalizações” maiores.

Amarga o fato de ver muitos jovens em pontos de encontro da localidade onde reside (felizmente esse caso não ocorreu em Votuporanga), deixarem esses locais após o consumo de quantidades muito maiores de bebida alcoólica, inclusive destilados, e seguirem seus destinos, tranquilamente, sem abordagem (e  possíveis consequências), noite adentro.

A questão principal talvez seja a de que aqueles jovens e esses locais podem estar, de alguma forma, blindados. Deixar para lá, uma vez  que somente o tempo poderá exigir providências cabíveis. Consequências, mais cedo ou mais tarde ocorrerão:  a omissão, de quem de direito,  será descortinada. Poderia ocorrer inclusive a presença de menores nessas situações “confortáveis”.

Seguir em frente pode ser romper com a permissão de que pensamentos relativos aflorem, alterando o seu metabolismo, o seu humor e inclusive dificultando o seu relacionamento com as pessoas com as quais divide seu dia-a-dia. E consigo mesmo.

Recomeçar ignorando as perdas financeiras, que podem ser importantes devido ao seu poder aquisitivo. O de alguém que encontra dificuldade para se empregar, pela falta de experiência, que conta pontos, somada à falta de empregos que assola o país.

Mais tarde, diploma na mão, posse do conhecimento relativo – teórico e prático,  tendo quitado os valores relativos às multas (inclusive de infrações anteriores, praticadas por outrem), preservando seu nome e CPF, poderá, com dignidade e orgulho de si mesmo, recuperar essas e outras perdas.

Nada ao acaso!  Esteja, como tem estado, após o episódio desagradável, sempre apto a conduzir, tanto veículo quanto a própria vida. Preservar a sua saúde e forma física.

Os outros podem errar, a seu respeito, você não; porque se conhece melhor que ninguém. Erga a cabeça!

Sem arrogância, sem pretender mostrar que tem inteligência superior à média e sem exibicionismo com os dotes com que foi privilegiado por Deus.

Humildade é um dom de Deus. Pratique-a. Fé na justiça também: espere-a. Para perdoar, basta a predisposição. Alimente-a e revigore-se. O tempo é seu aliado. O amor dos familiares também; nada fala mais alto que o sangue que corre nas veias e o amor acumulado no coração.

Ao escolher amizades ou ser abordado, seja você mesmo seu melhor amigo!

Ivan Herrera Jordão é psicólogo – atuou na Comunidade Nova Vida e São Francisco de Assis, sendo colaborador deste Jornal.

Além disso, verifique

Bastidores por A. C. Camargo

Ponto de Vista O prefeito João Dado e sua esposa Mônica fizeram questão de prestigiar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.