Powered by free wordpress themes

Home / Geral / Bom senso x quantidade = Satisfação sem culpa!

Powered by free wordpress themes

Bom senso x quantidade = Satisfação sem culpa!

Por Juarez Duarte Paes Jr. –

 Feche os olhos e imagine agora a maioria das receitas que fazem parte do rol de todos os níveis da Gastronomia sem os seguintes ingredientes: Bacon, manteiga, creme de leite, óleos de oliva, milho, girassol, canola e outros, requeijão, queijos, catupiry, leite, leite condensado, massas em geral, farinhas, arroz, feijão, batata, açúcar, vinho, mel, frutas, verduras, cebola, alho, pimentão, tomate, pimenta, sal, ervas, especiarias, castanhas e outros oleaginosos, carne bovina, suína, peixes, frutos do mar e aves.

Fazendo uma conta rápida e aproximada acredito que estariam aí incluídas 95% das receitas (não inclusas as específicas como as veganas, por exemplo) conhecidas, já que raras são as que não têm em sua composição pelo menos um dos insumos acima citados.

Fato este não suficiente para tornar necessariamente todas as composições altamente calóricas, já que na verdade o que torna muitas vezes uma receita excessivamente calórica é a combinação feita com esses ingredientes, por parte de Chef’s e cozinheiros na incessante e incansável batalha na busca de proporcionar aromas contundentes ao olfato, acompanhados de uma apresentação que hipnotizante ao comensal pela visão e sabores que se tornem irresistíveis ao paladar humano e que arrepiem toda a epiderme.

Por outro lado, o fato de se consumir pratos calóricos eventualmente, não é sinônimo de ganho de peso para ninguém. O que pode levar ao aumento excessivo das gordurinhas e consequentes quilinhos é a ingestão constante e indiscriminada, de grandes quantidades de alimentos independentemente de serem mais ou menos calóricos.

Se quando no controle de nossas despesas domésticas, não devemos gastar mais do que ganhamos, enquanto nos alimentamos não podemos ingerir mais calorias do que podemos ou iremos queimar para atender nossas necessidades diárias, ou seja, o problema não esta no que comemos mais sim na quantidade ingerida.

No ano de 1825, um francês chamado Jean Anthelme Brillat Savarin, lançou a primeira publicação de que se tem notícia, sobre obesidade humana, “A Fisiologia do Gosto”, onde ele atribuía ao excesso de açúcar e amido nas refeições diárias (da época), o aumento de peso em homens e mulheres, transformando assim, os carboidratos nos grandes vilões da balança, até meados dos anos 70 (séc. XX), quando a obesidade atingiu níveis preocupantes, levando ao aumento de doenças como o câncer, o diabetes, insuficiências renais, coronarianas e outras, nos EUA. Diante do problema, o governo americano investiu em estudos e pesquisas na área de Alimentação e Saúde (hoje Nutrição).

As primeiras dietas criadas após as pesquisas elegeram uma dupla de vilões: os carboidratos e as gorduras, eliminados por completo em todas as versões.

Passados mais de trinta anos desde o surgimento da ciência da nutrição, incontáveis dietas foram criadas, passando pela famosa Dieta das Proteínas do Dr. Artkins, que liberava por completo proteínas (carne bovina, suína, aves e ovos) e gorduras (manteiga, bacon, nata, etc.), sem limite de quantidade, e abolia por completo os carboidratos, até a Dieta da Lua, com jejuns de 10 a 20 dias ininterruptos a cada três meses, os estudos dos alimentos, juntamente com a aplicação da fisiologia nos esportes e o aprofundamento do saber, no funcionamento do metabolismo do homem, provaram que dietas e regimes radicais, com perdas de peso em tempo recorde, não funcionam de forma satisfatória e traz sérios riscos a saúde. Para se obter um físico saudável e vistoso, o melhor caminho a ser seguido, é o do Bom Senso, tanto na alimentação, quanto na escolha da atividade física mais adequada para cada indivíduo.

Dr. Alfredo Halpern – Chefe do grupo de obesidade do Hosp. das Clínicas de SP., criador da “Dieta dos pontos”, na qual se pode comer de tudo, desde que não se ultrapasse os limites calóricos diários: “Quer feijoada? Pode. Quindim? Tudo bem. Batata frita? Ok. Moderação é o lema da dieta que faz bem a silhueta e a saúde.”;

Dr. Alberto Serfaty – nutrólogo, criador da “Dieta do prato cheio”: “De nada adianta se privar de uma infinidade de alimentos se, terminado o regime você avança o sinal. Mais vale investir na qualidade, do que diminuir drasticamente às opções e a quantidade. Dê preferência às carnes, vegetais, frutas, leite desnatado e seus derivados light. Já o consumo de carboidratos deve ser controlado, porque, em excesso, são estocados em forma de gordura. Ao diminuir as porções de carboidrato, produzimos menos insulina, hormônio que desperta a fome. Porém, não se deve eliminá-lo, pois é fonte de energia.”.

Resumindo todas as teorias, dietas e práticas acima em duas palavras: Bom senso!

 

MOQUECA DE FRANGO CANDANGA:

 

Você vai precisar de: -250g de coração de frango limpos; -200g de fígado de frango; -200g de moela de frango; -350g de coxinha de asa de frango; -suco de 3 limões; – Sal e pimenta calabresa; -1 pimenta dedo de moça picadinha; -5 dentes de alho amassados; -3 cebolas picadas; -1 pimentão verde picado; -1 pimentão amarelo picado; -3 tomates picados sem semente; -1 xícara de chá de cebolinha picadinha; -1xícara de chá de salsinha picadinha; -1/2 xícara de chá de coentro picadinho (opcional); -200ml de azeite extra-virgem; -20g de curry em pó.

 

Preparo: Tempere os corações, a moela, o fígado e as coxinhas, separadamente, com sal, pimenta calabresa, alho e limão e deixe marinando por 20 min. Em uma panela de pressão, coloque um pouco de azeite, refogue a moela e as coxinhas com um pouco de cebola, pimentão verde, alho e tomate e deixe na pressão por 20 minutos.

Em uma panela de barro ou ferro, jogue o azeite, aqueça bem, junte o alho, metade da cebola, do pimentão verde, do tomate, da cebolinha, da salsinha, do coentro, a pimenta dedo de moça, sal a pimenta calabresa, mexa e junte os corações e o fígado e refogue bem, deixe por 15 min em fogo baixo, com a panela tampada mexendo de vez em quando para não grudar, junte as moelas, as coxinhas e o curry, deixe por mais 15 min, tampe a panela em fogo baixo e mexe algumas vezes para não grudar, tire a tampa e espalhe por cima de tudo a metade da cebola, do pimentão verde, do tomate, da cebolinha, da salsinha, do coentro e o pimentão amarelo, polvilhe com sal, regue com azeite, tampe a panela, após 5 min apague o fogo, espere mais 5 min e sirva com arroz branco e se quiser um pirãozinho feito a partir do caldo da moqueca.

 

Além disso, verifique

Acostamentos do 27 terão novos investimentos

Na última terça-feira (14/11), o prefeito João Dado anunciou que novos trechos de acostamento da …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.