Powered by free wordpress themes

Home / Opinião / O tiro saiu pela culatra

Powered by free wordpress themes

O tiro saiu pela culatra

Bastidores

Por A. C. Camargo

 

“O tiro acabou saindo pela culatra”. Essa conhecida expressão popular se adequa perfeitamente ao movimento intentado sábado passado por um grupo de pessoas empunhando a bandeira do “fora Dado”. Com um número insignificante de participantes, do ponto de vista numérico, o movimento perdeu inteiramente sentido, faltando-lhe o caráter de pressão popular contra a administração do município. Antes de desestabilizar o governo da cidade, que era o pretendido, acabou beneficiando-o se considerarmos que a mobilização de lideranças de vários segmentos da cidade cuidou de seu esvaziamento. Havia muito mais participantes na reunião que condenou o movimento, do que os que foram às ruas no sábado.

 

 

 

Representatividade

 

Dessa reunião realizada no Espaço Unifev, auditório que funciona anexo à Santa Casa, deu para perceber a desaprovação de setores representativos de segmentos dos mais ativos da sociedade local, variando de empresários do comércio e da indústria, através da ACV e da AIRVO, ao sindicato que representa os comerciários de Votuporanga, Essa mescla de representatividade pode ser apontada como um dos fatores principais da baixa participação no movimento anti-Dado.

 

Reforço

 

E, não bastasse isso, a posição assumida pelo diretório local do PT deu reforço maior ainda àqueles que condenaram a realização da concentração e passeata no sábado. Os petistas, ainda assombrados com os acontecimentos que levaram à perda do mandato da sua ex-presidente Dilma Rousseff, agiram de forma coerente com suas bandeiras de defesa das manifestações populares, mas deixaram claro que o intuito aqui defendido pelos autores do movimento era inadequado. Aliás, defenderam uma atuação mais presente da Câmara Municipal, lembrando que compete aos vereadores fiscalizar e exigir medidas por parte do Executivo em resposta às expectativas da população.

 

Tempestade

 

Depois disso tudo, o que confere ao prefeito uma espécie de alívio, é forço lembra-lo e aos seus assessores mais próximos, que a tempestade não passou. O grau de descontentamento da população é expressivo, como reconhecem, inclusive, muitos dos amigos pessoais de Dado. Compete-lhe agora perseguir um meio de se reaproximar dos munícipes, refazendo seus discursos e ações. A avaliação de seu governo continua em baixa e isso pode ser observado em todas as camadas da comunidade. É só querer ver sem travas.

 

Coisa & Tal

 

Quem assistiu a vitória do Votuporanguense sexta feira à noite em Barueri pelo SporTV certamente se deu por satisfeito. Foi uma boa apresentação do time alvinegro, onde se aliou o bom futebol à muita raça. Como disse o Zé da União, em rápida conversa com este colunista sábado pela manhã, o CAV comprometeu sua classificação pelos pontos que perdeu em casa. É verdade.

 

Entre aspas

 

Trecho final do manifesto do PT sobre o movimento Fora Dado assinado pela presidente da sigla Rosa Maria Chiquetto, neste Diário, edição de sábado:

 

 

 

– A perseguição como forma de coibição das críticas nunca se mostrou eficaz,

 

enquanto que o diálogo é o caminho mais curto para a solução dos problemas, transformando Votuporanga na cidade ideal para todos seus moradores.

 

Além disso, verifique

Bastidores

Por A.C. Camargo Os avós deixaram São João Del Rey em Minas Gerais e vieram …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.