Powered by free wordpress themes

Home / Saúde / Tuberculose na pauta da Saúde

Powered by free wordpress themes

Tuberculose na pauta da Saúde

Ontem foi o Dia Mundial de Combate à Tuberculose. O intuito desta data, definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é alertar a população sobre o tratamento da doença e intensificar as orientações de prevenção, controle e redução do surgimento de novos casos em todo o mundo.  Assim, a Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde de Votuporanga  reforça  as medidas de combate nas unidades de saúde do município, no decorrer deste mês de março. Atualmente, quatro pacientes estão em tratamento contra a tuberculose no município, e em 2017, foram 16 casos.

A tuberculose é uma doença infecciosa e transmissível, causada pelo Bacilo de Koch e afeta em geral os pulmões, embora possa acometer outros órgãos e sistemas do corpo. A transmissão ocorre pelo ar, quando a pessoa doente tosse, fala ou espirra. Os sintomas mais comuns são tosse por mais de três semanas com produção de grande quantidade de secreção, febre baixa e vespertina (ao final da tarde), cansaço, fadiga perda de peso e suor noturno.

 

Tratamento

A doença tem cura é o tratamento é feito na rede municipal de saúde. Se realizado corretamente, em 15 dias, o paciente deixa de transmitir a doença, no entanto, o tratamento tem duração mínima de seis meses e deve ser feito até o fim, é o que destaca a diretora da Divisão da Vigilância Epidemioológica, Fabiana Beneduzzi. “Todo processo é mantido em sigilo pelos profissionais envolvidos, assim que o paciente  é diagnosticado com tuberculose. O acompanhamento é realizado em nossas unidades de saúde durante todo o tratamento, supervisionado rigorosamente por uma equipe multiprofissional de saúde por 6 meses ininterruptos, mesmo com o cessar dos sintomas antes deste período. A ingestão dos medicamentos é diária e monitorada por meio do Tratamento Diretamente Observado (Todo), podendo ser administrados na própria unidade de saúde ou até mesmo na residência”, afirmou.

Por se tratar de um processo longo de tratamento, a diretora afirma que é importante fortalecer o vínculo entre profissional de saúde e paciente. “O estabelecimento e a manutenção do vínculo entre profissional de saúde e usuário é fundamental para que haja adesão do paciente ao tratamento e assim as chances de abandono sejam reduzidas”.

 

Diagnóstico

O paciente é diagnosticado com tuberculose, após a realização de exames como o Teste Tuberculínico (PPD), baciloscopia (escarro), Raio-X de Tórax e pela apresentação dos sinais clínicos, observados por meio de um Critério Clínico Epidemiológico.

 

Vacinação

Para prevenir a doença é necessário imunizar as crianças obrigatoriamente no primeiro ano de vida ou no máximo até quatro anos, com a vacina BCG. Crianças soropositivas ou recém-nascidas que apresentam sinais ou sintomas de Aids não devem receber a vacina. A prevenção inclui evitar aglomerações, especialmente em ambientes fechados, mal ventilados e sem iluminação solar. A tuberculose não se transmite por objetos compartilhados.

 

Além disso, verifique

Sífilis será tema de seminário em Votuporanga   

  Evento será na próxima segunda-feira, no IFSP, das 7h30 às 15h; objetivo é analisar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.