Powered by free wordpress themes

Home / Cidades / Festival de Folclore de Olímpia

Powered by free wordpress themes

Festival de Folclore de Olímpia

Olímpia abre suas portas para mais um Festival de Folclore, de 4 a 12 de agosto, com apresentações de danças e manifestações folclóricas de 55 grupos e atividades de fomento à cultura popular

Francine Moreno (Diario Web)

Reconhecida como a capital nacional do folclore, Olímpia, localizada a cerca de 130 quilômetros de Votuporanga, deu neste sábado, 4, à edição 2018 do Festival do Folclore, um dos maiores e mais importantes do País. Durante esta semana, a cidade será movimentada pelas tradições de 55 grupos folclóricos e parafolclóricos, sendo 14 inéditos, de 17 estados diferentes.

A lista inclui nomes como o Conjunto Folclórico Internacional Os Gaúchos, de Porto Alegre; Coletivo Candace de Danças Populares Contemporâneas, de Salvador; e Banda de Congo Beatos de São Benedito, de Vila Velha, que se apresentam pela primeira vez na cidade. A tradição se mantém no evento com a participação do grupo de congada Terno de Moçambique São Benedito, de Olímpia, que é um dos mais antigos e participa do festival desde a primeira edição.

Na 54ª edição do evento, cerca de 20 grupos de Olímpia estão confirmados. O Grupo Olimpiense de Danças Parafolclóricas Cidade Menina Moça (Godap) é um deles. A equipe de estudos de folclore foi criada em 1967 pela professora Maria Aparecida Manzolli e conta com um repertório de danças folclóricas de quase todos os estados brasileiros, dando ênfase às danças paulistas.

Neste ano, o festival celebra o Jubileu de Milho. O cereal, inclusive, serviu de inspiração para o espetáculo de abertura, que contou com a participação de 300 crianças, entre 8 e 10 anos, alunos da rede municipal de ensino, cujo tema foi Festa de um povo – Cabe o mundo inteiro no balaio brasileiro.

A expectativa é de que passem pelo recinto de atividades folclóricas Professor José Sant’Anna e por toda a cidade cerca de 120 mil pessoas. O custo para a realização do festival foi estimado entre R$ 750 e R$ 800 mil. O recinto, que detém uma área de 9,6 hectares, será dividido em diversos espaços. No palco principal, por exemplo, estão agendadas as apresentações noturnas de danças e manifestações folclóricas. Simultaneamente serão realizadas sessões no palco B. Já no Vila Brasil – Casa do Caipira estão programadas ações do universo sertanejo, como shows de moda de viola.

Grupo Parafusos, de Lagarto, em Sergipe, participará do evento

Ações formativas

Crianças e adolescentes terão uma grade especial no evento. Trata-se do Minifestival, que promoverá atividades com objetivo de despertar o interesse sobre o folclore brasileiro. As crianças vão aprender, por exemplo, a produzir brinquedos antigos. O festival conta ainda com um parque de diversões, gincana, mostra de artesanato e ações de literatura.

Um seminário de estudos relacionados ao folclore também está agendado. A grade é formada por uma série de palestras, ministradas por folclorólogos, com o objetivo de ampliar o conhecimento sobre o folclore, por meio de informações teóricas e práticas.  No Museu do Folclore está agendada também uma oficina de trançado estrela, que é feito com palha de milho. Já na Casa de Cultura, está programado o 4º Simpósio de Estudos Etnomusicologicosa e uma rodada cultural.

As atividades não acontecem apenas no recinto. A grade conta com apresentações gratuitas com os grupos nas ruas e praças por meio da ação chamada Peregrinação. No domingo, 5, às 10h, na igreja Matriz de São João Batista, está agendada uma missa de ação de graças com a participação dos grupos folclóricos visitantes e locais. Todos entram na igreja cantando e dançando, conforme o ritmo de sua tradição, sempre com o traje típico e levando a bandeira do seu Estado e grupo.

Um dos pontos altos do festival é o desfile no dia 12 de agosto, às 8h, com missa sertaneja em homenagem ao Dia dos Pais, seguido pelo desfile de encerramento do evento, às 10h, na avenida Menina Moça, com a participação de todos os grupos, seguida de uma confraternização.

Movimentação

Os primeiros grupos de fora chegarão na sexta-feira, 3, em Olímpia. Cada turma traz em média entre 25 e 30 integrantes. Ao todo, o evento receberá 1,8 mil artistas. O diretor de cultura do município, Charles Amaral, afirma que servirá gratuitamente cerca de 20 mil refeições durante o festival. Aproximadamente 500 pessoas irão trabalhar direta e indiretamente no evento, cuja estrutura traz estacionamento oficial e praça de alimentação.

Segundo Amaral, o objetivo principal do Festival de Folclore é preservar e manter a cultura popular e tradicional do passado, fortalecendo e divulgando o folclore e suas raízes. O evento busca ainda promover uma integração sociocultural entre vários grupos do Brasil, em um clima de confraternização e harmonia, para difundir a cultura popular e as tradições de todos os estados. “Nossa intenção é não deixar morrer a tradição do folclore brasileiro. O evento é democrático e une todas as pessoas em nove dias”.

Serviço

54º Festival do Folclore. De sábado, 4, a 12 de agosto, no recinto de exposições e praça de atividades folclóricas e turísticas Professor José Sant’anna e nas ruas e praças de Olímpia. Informações: www.folcloreolimpia.com.br e www.facebook.com/folcloreolimpiaoficial/

Boi de Máscaras Faceiro é de São Caetano de Odivelas

Além disso, verifique

Dicas de mecânica de automóveis

Embreagem – Hábitos incorretos ao dirigir que prejudicam a embreagem. Existem diferentes causas que originam …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.